Por que o Tesouro Direto é uma ótima aplicação para iniciantes

Tempo de leitura: 6 minutos

O programa do Tesouro Nacional, em parceria com a BMF&F Bovespa, consiste na venda de títulos públicos federais para pessoas físicas através do meio digital. É a opção de investimento mais segura e acessível, já que conta com títulos de diferentes rentabilidades, prazos de vencimento e fluxos. Confira as vantagens do Tesouro Direto para iniciantes!

Alternativas para todos os gostos

Além do menor risco da economia, boa rentabilidade e liquidez diária, o Tesouro Direto possui distintas opções de investimento –  os títulos públicos. Mas como assim?

O títulos são ativos da renda fixa. Traduzindo, seu rendimento é calculado no momento que se faz o investimento, ao contrário de ativos com renda variável (as famosas ações).

Você está emprestando dinheiro para o governo quando adquire um título público. Em troca, será recebida uma remuneração pelo empréstimo (valor investido com adicionais que dependerão do tipo escolhido) no prazo estipulado. Assim, o investimento não só gera renda e traz benefícios pessoais como ajuda o governo do Brasil a se desenvolver.

Tesouro Direto para iniciantes

Diferentes tipos de títulos

Há variados tipos de títulos, entenda quais os mais atrativos conforme seus objetivos.

Títulos Pré-fixados

Nesses, vocês sabe exatamente qual será a rentabilidade até a data de vencimento. São indicados caso você acredite que a taxa prefixada será maior do que a taxa de juros da economia brasileira (conhecida como taxa Selic).

Seu rendimento é nominal, ou seja, é necessário descontar a inflação para obter o rendimento correto da sua aplicação.

Dentro dessa modalidade há duas opções:

Tesouro Prefixado (LTN)

Gera remuneração somente em seu vencimento.

 Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)

Gera remuneração semestral e no seu vencimento.

Títulos Pós-fixados

Para tais títulos existe um indexador que corrige valores, podendo ser a taxa Selic (taxa básica de juros) ou o IPCA (inflação).

Dessa maneira, a taxa predefinida mais a variação do indexador são os fatores que compõe a rentabilidade.

Há três alternativas:

Tesouro Selic (LFT)

Conta com rendimento da taxa contratada no momento da compra mais taxa de juros básica da economia. A remuneração vem somente no vencimento do título.

Tesouro IPCA com juros semestrais (NTN-B)

Conta com rendimento da taxa contratada no momento da compra mais a inflação. A remuneração é semestral e no vencimento.

Tesouro IPCA (NTB-N Principal)

Conta com rendimento da taxa contratada no momento da compra mais a inflação. A remuneração vem somente no vencimento do título.

Agora que você conhece todas as opções, pode pensar no que melhor se encaixa em seu bolso. Ainda assim ficou confuso? Não precisa se preocupar. O Tesouro Nacional criou o Orientador Financeiro, uma ferramenta que te auxilia a escolher o melhor caminho mediante a resolução de algumas questões.

Basta responder algumas perguntas como objetivos financeiros, tolerância a riscos e tamanho do investimento pretendido. Super fácil, certo? É por essa razão que é indicado o Tesouro Direto para iniciantes.

Quantidade mínima irrisória

A quantia mínima de compra deve representar 1% do valor total de um título (considerando o valor mínimo de R$ 30,00). Já o valor máximo de aplicação é de R$ 1.000.000,00. Uma grande diferença de valores, o que garante a participação de todos os tipos de investidores, inclusive de classes sociais diversas.

Para a venda de títulos não há limite.

Baixas taxas de administação

A compra de títulos públicos acarretam em pequenas taxas a serem pagas pelos serviços prestados. São elas: taxa Mirae (0,20% ao ano) e taxa de custódia (0,30% ao ano), aplicadas sobre o valor dos títulos escolhidos.

Datas diversificadas de vencimento

Existem diferentes tipos de prazo, desde 2018 a 2050. Você precisa escolher qual vencimento combina com seu objetivo.

Em investimentos mais curtos, há maior liquidez, mas um rendimento menor. Com prazos longos há uma rentabilidade mais interessante. Tudo depende da sua meta e dos seus objetivos.

Apesar disso, o vencimento não quer dizer que você não possa resgatar seu dinheiro antes, se achar necessário. A venda de seus títulos é lícita a qualquer altura do processo, mas não é sempre um bom negócio. Certos investimentos perdem valor no intermédio entre a compra e o vencimento, portanto sempre permaneça atento.

Caso o investidor não vender e continuar com o título até o prazo determinado, receberá o valor correspondente ao que foi comprado (e, dependendo de qual título escolhido, mais adicionais como a inflação ou taxa de juros básica).

Bom rendimento

A rentabilidade do Tesouro Direto é maior que a da poupança e do Certificado de Depósito Bancário (espécie de título bancário).

 Cada título público tem sua particularidade, sua forma de gerar rentabilidade. Com os pré-fixados, o investidor pode saber qual a porcentagem de rentabilidade que obterá do título quando o prazo chegar e ocorrer o vencimento. Já com os pós-fixados há também a variação da taxa básica de juros ou da inflação.

Funciona há mais de 15 anos

O Programa, concebido pelo Tesouro Nacional, surgiu em 2002 para democratizar o acesso aos investimentos, oferecendo valores iniciais muito baixos, entre outras vantagens.

Antigamente só era possível investir em títulos públicos através de fundos de renda fixa, ou seja, de forma indireta. Tais fundos acarretavam em taxas de serviços bem altas, o que não tornava o tipo de investimento interessante. Ainda, quanto mais baixa a aplicação, mais altas eram as taxas cobradas. Pequenos investidores não tinham muita oportunidade ou vontade de aplicar.

O melhor do Tesouro Direto para iniciantes

Além da boa rentabilidade, das muitas alternativas e do auxílio oferecido, geralmente a característica mais buscada por alguém sem muita experiência é o baixo risco.

Jovens que não querem se arriscar na bolsa ou ainda não possuem montante suficiente para tal podem e devem apostar neste investimento. Já que a poupança não rende de forma satisfatória, a dica é o Tesouro Direto para iniciantes.

Começando como pequeno investidor, existe a oportunidade de compreender melhor os programas disponíveis, estudar, aprender sobre os pontos oferecidos e conseguir uma boa renda proveniente disso. Com o tempo, é possível adquirir experiência e diversificar os investimentos. Uma opção interessante em tempos de crise econômica.

Por fim, como você pode perceber, o Tesouro Direto é uma ótima opção para começar a investir, se sente-se inseguro e quer se aprofundar mais, recomendo que assista essa aula gratuita sobre o tema para aumentar ainda mais seu conhecimento para começar a investir.